DIGA, ESPELHO MEU: EXISTE SERVIÇO DE TELEMARKETING MAIS CHATO QUE O DO BRADESCO?

DIGA, ESPELHO MEU: EXISTE SERVIÇO DE TELEMARKETING MAIS CHATO QUE O DO BRADESCO?

– André L. Soares – 25.08.2008 –
.
Hoje abordarei um problema que, possivelmente, seja também o de muitas outras pessoas. Não! Não é a rubéola. Trata-se do impertinente serviço de telemarketing do BRADESCO, que, não satisfeito em poluir nossas vidas com propagandas veiculadas na televisão – aberta e por assinatura –, nos principais jornais e revistas, nos ‘outdoors’ e cinemas, resolveu, ainda, ‘adentrar’ nossas casas diariamente, para ‘ofertar’ seus serviços.
Imagem do bina da minha casa.

Não sei dizer, com precisão, quando começou. Mas, há meses que, praticamente todo dia, recebo ligações interurbanas em minha residência. O ‘bina’ registra o número 1-11-3323-2360 (ver imagem acima), proveniente de São Paulo. É sempre a mesma coisa: uma bela e educada voz feminina pergunta se ‘fulano-de-tal’ está, referindo-se a um de nós, adultos da casa. É o telemarketing do BRADESCO, oferecendo cartões de crédito.
Informada de que já possuímos cartões de crédito e que, há muitos, usamos os serviços bancários do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal, a moça agradece e desliga.
A princípio, pensei que isso teria fim. Mas estava errado. Atualmente, mesmo tendo limpado diversas vezes a memória do ‘bina’, o aparelho ainda registra várias ligações provenientes do mesmo número. A maior parte desses telefonemas deu-se em horário comercial. No entanto, depois de certo tempo, passaram a ligar após as dezoito horas. Outras vezes, após as vinte e duas horas. Havendo, ainda, ligações aos sábados e domingos. Em determinadas ocasiões, mais de uma vez no mesmo dia.
Após o primeiro mês, solicitei à moça do telemarketing que retirasse nosso telefone de sua lista de trabalho, pois, com base em nossos direitos, não gostaríamos mais de ser incomodados. Diante de meu pedido, algumas atendentes disseram que anotariam tal solicitação; outras apenas encerraram a ligação de forma educada. Entretanto, a despeito do que tenham dito as gentis senhoritas, a perturbação continuou.
Quero deixar claro que essa postagem não se volta às atendentes do BRADESCO. Essas são pessoas que trabalham arduamente, em nada responsáveis pelo abuso que ora descrevo. A elas afirmo, aqui, meu mais sincero respeito. Minha indignação se volta, exclusivamente, ao departamento de marketing (ou telemarketing) do BRADESCO.
Em seu ímpeto de atingir metas de venda de cartões de crédito, o departamento de marketing do BRADESCO viola nossos direitos; mesmo após ter ficado claro que não queremos mais ser incomodados. Isso porque o BRADESCO não está preocupado com os meus direitos e, menos ainda, com os direitos dos demais membros de minha família.
Ao departamento de marketing do BRADESCO não interessa nosso direito ao descanso; não interessa nosso direito à paz do lar, nos finais de semana; não interessa nosso direito a uma noite de sono tranqüilo, distante dos temas que, em geral, são tratados apenas em horário comercial.
Não vou negar, aqui, a importância dessa instituição bancária, que coloca agências na maioria dos municípios do País, voltando-se, de modo especial, às pessoas de baixa renda. É de meu conhecimento, também, o papel de destaque do BRADESCO na história do financiamento agrícola brasileiro. Contudo, isso não lhe dá o direito de ferir nossos direitos de cidadão e consumidor.
No Brasil, porém, isso acontece porque, aqui, ao invés de um ‘estado de direitos’, tem-se um ‘estado de dinheiro’, onde aos ricos – na forma de pessoas físicas ou jurídicas – é dado o privilégio de quebrar quaisquer regras.
Assim, na certeza da impunidade, o departamento de marketing do BRADESCO cospe nas regras básicas: tanto as ditadas pela Constituição Federal, quanto as estipuladas pelos mais elementares manuais de vendas. Possivelmente, por conta do enorme faturamento, quem estruturou esse plano de marketing dê risadas dos postulados de Phillip Kotler. Afinal, Kotler, gênio do marketing que se declara contrário às técnicas que violam os direitos individuais, escreve para o povo da América do Norte, onde tais direitos ainda são levados mais a sério.
Em ‘terras tupiniquins’, contudo, o departamento de marketing do BRADESCO quer que se danem nossos momentos de descanso e nosso direito à individualidade sem intromissões indesejáveis. Tudo que importa a essa ‘máquina de criar endividamento’ é o alcance das malditas metas financeiras.
Resolvi, então, agir de outra forma. Agora, quando ligam, quem atende ao telefone pede para esperarem ‘um minuto’, alegando ir chamar a pessoa com quem desejam falar; a atendente fica esperando. E pasmem: houve dias em que esperou mais de meia-hora, sem desligar. Ela parece estar munida de moderna central telefônica, de modo que, enquanto espera, segue em seu trabalho.
Compreendo que o BRADESCO tenha o direito de tentar vender seus produtos. Por outro lado, penso que, já na primeira abordagem, deveria também nos ser dado o direito de escolher se gostaríamos, ou não, que nosso número residencial fosse novamente utilizado pelo telemarketing daquela instituição; considerando-se, ainda, que nosso número – o qual sequer consta no catálogo – não foi dado, por nós, ao BRADESCO.
A Constituição Federal, em seu Art. 5º, inciso II, diz: ‘ninguém será obrigado a fazer ou deixar de fazer alguma coisa senão em virtude de lei;’. Portanto, eu não quero continuar recebendo ligações telefônicas desse serviço de telemarketing. Isso é tão elementar. Então, porque o BRADESCO ignora?
Tudo isso me fez desenvolver, por lógica simples, o seguinte questionamento: se, antes mesmo de sermos clientes dessa instituição bancária, nossos direitos já são feridos; o que ocorrerá com nossa paz familiar, quando, porventura, o BRADESCO vier a ser – aos olhos da lei –, nosso credor?
Pensem nisso!

.

.

Favorite em:

Del.icio.usTechnoratiDiggSimpy

, , , , , ,

  1. #1 por vcfazobr em 25 setembro, 2008 - 10:02 am

    Siiiiiiiimmmmmmmmmmmmmm!!!!
    a da telefonica, do santander banespa e do Itaú
    eu sou daquelas pessoas que tenta resolver tudo na educação, então no mínimo 1 hora fico tentando desligar, e até que acabo dizendo não aborrecidamente e desligo.
    é dose isso
    bjs…b ye!!!

  2. #2 por Donizete em 2 outubro, 2008 - 11:44 am

    Mais ruim do que o Bradesco somente o Unibanco… entre tantos outros. Infelizmente falta respeito ao consumidor.

    Tem um selo prá vc. no http://anjodeduascaras.blogspot.com

    Donizete

  3. #3 por Izabela em 23 janeiro, 2009 - 6:04 am

    Parabéns pelo blog. Achei o texto muito oportuno, peço autorização para postar o link dele no meu blog. Esse problema tbm assola a minha família, mas por parte do Itaucard, Banco Cruzeiro do Sul e Banco Real.

  4. #4 por Sandro em 18 fevereiro, 2009 - 9:33 am

    Também recebi desse telefone: (11) 4062-5141. O invasivo operador de telemarketing faz perguntas sobre dados seus como sua renda, origem da sua renda, etc. Se ligar de novo vou gravar e processar. Ou o departamento de marketing do BRADESCO é dirigido por mulas, ou são bandidos do crime organizado monitorando os horarios que você esté em sua residencia. Melhor tentar aferir a verdade.

  5. #5 por Alexandre em 12 maio, 2009 - 4:05 pm

    Recebi ligação do Bradesco cartões mesmo após o bloqueio de telemarketing no Procon.

  6. #6 por Carol em 27 maio, 2009 - 5:34 pm

    Acabaram de ligar aqui pra casa, que inferno!!

  7. #7 por jonh em 13 novembro, 2009 - 9:12 pm

    Ola sou operador de telemarketing do bradesco cartões . gostaria de esclarecer algumas coisas para vc que possivelmente não saiba e fico muito feliz que entenda que esse é nosso trabalho, que muitos de nós trabalhamos para pagar nossa faculdade ou para comprar algo para os filhos:
    1°ponto , eu particularmente ligaria e se o cliente dissesse um não de primeira eu agradeceria e desligaria. mas somos monitorados e se não insistirmos perdemos nota de monitoria e podemos ser advertidos como falta de compromisso com a venda.
    2°ponto , essas ligações recebidas pelos senhores são de call centers contratados pelo bradesco , eu trabalho na telesoluções no Rj, provavelmente vc receba ligações da empresa tivit. guarde o nome , em alguns casos como na minha empresa elas escondem milhares de coisas do bradesco , como o fato de ligar antes de 9:00 da manha e depois de 21:00 da noite para clientes.
    outra coisa que gostaria que o senhor soubesse é que o atendente coloca marca a opção no mailling em que trabalhamos com a recusa e o motivo de sua recusa , ou erro de cadastro e etc.. mas a empresa e o bradesco em 3 meses ou menos apaga o mailling e volta tudo ao normal , o que se transforma em novas ligações e o porador não sabe de nada , vai lá e insiste para não ser advertido , e outra coisas vcs não sabe a pressão exercida em cima de nós para
    que consigamos converter uma venda, uma pressão enorme todo dia feedback de supervisores .
    então espero ter esclarecido algumas duvidas , e gostaria que os senhores entendessem que somos as pessoas que menos tem culpa nessa historia pos temos que fazer masi de 300 ligações diarias e vender então .
    descullpem o encomodo e boa noite!

  8. #8 por gustavo dorazio em 5 julho, 2010 - 3:44 pm

    Prezados,

    Estou sendo atacado pelo mkt bradesco! Sai a procura do que fazer pois desde sábado é massacrante a enxurrada de ligaçoes que fazem para meu telefone de SC de um numero fantasma em São Paulo…. já procurei a ouvidoria do Bradesco ou alguem que pudesse me ajudar a parar essa coisa, esse inferno. Trabalho em casa e meu telefone é ferramenta para o meu ganha pão, não tem como eu simplesmente desliga lo ou olhar o bina a cada ligação para saber se atendo ou não o telefone, e não ha resposta que satisfaça esses profissionais que muito bem, precisam do emprego para o seu pão de cada dia tambem… mas é desesperador…. não sei o que fazer.

    • #9 por Rita Costa & André L. Soares em 5 julho, 2010 - 4:20 pm

      Gustavo, a saída para esse tipo de coisa é uma ação – pequena e rápida – na Justiça Especial (antigo Tribunal de Pequenas Causas). Foi assim que me livrei do telemarketing Bradesco. Entre com uma ação, alegando e comprovando que você trabalha em casa e que, portanto, o telemarketing abusivo do Bradesco representa prejuízo pra você. Acredite: dá certo. E você ainda receberá algo entre 6 e 8 mil reais. Não perca tempo. Sucesso pra você,… hoje e sempre. Grande abraço!

  9. #10 por Fernando em 7 agosto, 2010 - 4:05 pm

    Mais uma vítima desse banco maldito. No começo tentei ser educado, deixava a moça falar e recusava gentilmente. Agora perdi a paciência, foram 5 ligações nos últimos 2 dias! To me controlando pra não xingar as atendentes.
    Até acredito que as atendentes não sejam as verdadeiras culpadas, mas das “profissões honestas”, atendente de telemarketing deve ser o que me dá mais raiva.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: